terça-feira, 10 de novembro de 2015

EMBARCAÇÃO COM PROFESSORES NAUFRAGA EM CAMETÁ

O nível de sucateamento das escolas públicas da rede estadual de ensino fato público e notório denunciado diariamente pelas diversas manifestações realizadas pelos (as) trabalhadores (as) em educação assim como pelos estudantes em todo o Pará, tem como algumas consequências o adoecimento da categoria e o baixo rendimento do alunado.
Não é por acaso o ensino do Pará é um dos dois piores de todo o país quando avaliado pelos diversos instrumentos aplicados pelo país como, por exemplo, o IDEB, ainda que não concordemos com este índice por desprezar as condições físicas das unidades escolares que, evidentemente, influenciam nas condições do processo ensino-aprendizagem.

O governo do Estado tem dado pouca atenção ao SOME, o que parece é que o sistema esta entregue a sorte, ou propositalmente pode ser uma estrategia do governo que ele se acabe por si só, em Cametá não é diferente, o impasse existe e pra piorar a prefeitura de Cametá não assina o convenio com o Estado e os alunos do município são os mais prejudicados. Segundo a SEDUC cerca de 10% das prefeituras assinaram o convenio de cooperação em todo o estado. 
A situação é de extrema preocupação no Sistema de Organização Modular de Ensino – SOME, o cenário é de guerra, os professores tem feito milagres, pois muitos tem enfrentado verdadeira maratonas e que chegam ao limite, as situações mais adversas para garantir o direito à educação aos nossos adolescentes e jovens de comunidades das zonas rurais e ribeirinhas pelo interior de Cametá.
Ontem (9) uma voadeira que levava seis professores (as) do SOME, pelo Rio Tocantins, para as Ilhas de Cametá, colidiu com uma rabeta e foi ao fundo. Felizmente, todos foram resgatados a tempo por ribeirinhos que passavam no momento pelo local rumo à cidade. A professora Ana Selma teve algumas escoriações pelo corpo e foi salva pelo professor Ivan seu colega, pois não conseguia nadar de tão apavorada. No mais, as perdas foram somente materiais, como os equipamentos utilizados nas salas de aula.
Todos se encaminharam para suas casas tentando se restabelecer do susto e pânico que viveram em mais um dia de dedicação ao trabalho.
A Coordenação Estadual do Sintepp se solidariza e irá cobrar do governo Jatene melhores condições de trabalho, além de pautar este acontecimento na audiência de amanhã, de hoje (10).
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

NÃO LISTA

Contato