quarta-feira, 16 de março de 2016

Jatene vai acabar com o Educação do Campo (SOME) no Estado do Pará



O governador Simão Jatene vai trocar gradativamente os professores por TV e vídeo aulas, o projeto é conhecido como SEI. Os mais prejudicados serão os alunos das vilas como: Vila de Juaba, Vila do Carmo, Vila de Porto Grande, Vila de Areião, Vila de Belos Prazeres e outras. Se Jatene não dá conta atualmente de manter a estrutura desse sistema onde não há estruturas mínimas, imagina colocando uma TV de LED e um DVD em cada escola onde irá funcionar o SEI. O estado não tem nem prédios nem vigias para garantir a guarda dos matérias no interior e nas vilas de Cametá, ou será mais um projeto imaginário e midiático do atual governador. Pelo projeto, ao invés dos alunos terem aulas presenciais com professores de todas as disciplinas da grade curricular, passarão a assistir vídeo-aulas com a presença de um professor unidocente ou multidisciplinar que vai apenas orientar o ensino à distância. As aulas serão repassadas através de uma televisão ao longo do período de 4 horas.

Atualmente o SOME esta sem professores e sem estruturas, nas vilas não há casa e nas ilhas não há mínimas estruturas, o governo atribui o fracasso aos professores, mas como os professores podem trabalhar sem casa e sem escola? Falta merenda escolar e transporte em muitos lugares, a prefeitura de Cametá onde deveria ser parceira se esquiva e joga a responsabilidade para o Estado, e com toda as dificuldades enfrenadas por esses guerreiros professores ainda foi esse sistema que mais aprovou alunos no vestibular em 2015.

O Sistema de Organização Modular de Ensino (SOME), uma importante política pública do estado do Pará que, desde a década de 80, leva educação às comunidades mais distantes, como florestas, assentamentos, aldeias indígenas, áreas quilombolas, ribeirinhos, entre outras, onde inexistem escolas e corpo docente estruturado, está ameaçado no Pará, pondo em risco o ensino público prestado a cerca de 38 mil alunos de mais de 90 municípios do estado. O Some consiste no deslocamento dos professores de várias disciplinas para garantir a formação em ensino fundamental e médio onde não há escola de ensino regular, fazendo com os mesmo não se desloquem para os centros e fiquem com sua famílias.


O desmonte do Some não deixa de ser, portanto, mais uma tentativa de privatização, do atual governo tucano. O governo Jatene não realiza concurso público para suprir as demandas docentes do Estado, não constrói e nem conclui as reformas de escolas e, ainda, quer destruir o sistema de ensino que, hoje, garante o ensino público no local de moradia de difícil acesso para muitas crianças, jovens e adultos.
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivo do blog

NÃO LISTA

Contato