quarta-feira, 13 de julho de 2016

Jatene impotente contra o crime no Pará



A sensação de insegurança é comum na vida de grande parte da população paraense e cametaense, e este sentimento não é sem fundamento.

Um estudo realizado pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime indicou que das 30 cidades mais violentas do mundo, 11 são brasileiras. Nesta lista encontra-se a capital do Pará, Belém, como 23ª colocada.

No Mapa da Violência, o Pará foi registrado como um dos cinco estados mais violentos do país, ficando atrás apenas de Alagoas e Espírito Santo. E em 2014, a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social registrou uma taxa de 69.502 roubos só na Região Metropolitana de Belém, um número alarmante para a economia da região e para a segurança da população.

A perplexidade e o caos é a situação que o Estado do Pará vive atualmente na área da segurança pública.  Não se têm duvidas pelos cidadãos que transitam pelas ruas das cidades do Baixo-Tocantins, sem falar dos rios de Cametá que Jatene perdeu a guerra para a criminalidade.

O crime hoje é quem dita às regras no Pará. Sem politicas publicas voltadas para jovens e sem investimento adequado para educação, o governo perde terreno e jovens para as drogas que é uma das principais causas de crime no Pará, o vicio e a impunidade incentivam meliantes, adolescentes e jovens a cometerem os crimes. A educação ainda é, e sempre será  a saída para formar cidadãos de bem, mas parece que o atual governador e professor Simão Jatene não se atentou para a problemática que cada vez se agrava no estado.

Infelizmente haverá ainda muitas vitima nos quatro cantos do Pará, a polícia faz o que pode, mas sem estrutura, falta de pessoal e um centro eficaz de inteligência é quase impossível combater a raiz do crime e o trafico de drogas, afirma especialista em segurança pública.

O Estado do Pará vive uma verdadeira guerra civil, de um lado os assaltantes e traficantes de drogas, e do outro o povo que se defende como pode, e como em todas as guerras haverá ainda muitas vitimas, a sociedade paraense esta vivendo reclusa dentro de suas residências fortemente protegidas. A o povo do Pará esta se tornando uma sociedade traumatizada e doente devido o crime.

Bandidos não temem mais nem a policia e é até moral para os bandidos roubarem militares diz seu Paulo morador do bairro da Aldeia.

Os policias são verdadeiros guerreiros que deixam suas famílias apreensivas sem saber se voltaram pra casa para poder dar um abraço nos seus filhos, os marginais estão agindo sem medo ou pudor, cada vez mais fortemente armados, e quando são pegos, são amparados com excelência pelos direitos humanos.
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

NÃO LISTA

Contato