This is default featured slide 1 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.This theme is Bloggerized by Lasantha Bandara - Premiumbloggertemplates.com.

This is default featured slide 2 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.This theme is Bloggerized by Lasantha Bandara - Premiumbloggertemplates.com.

This is default featured slide 3 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.This theme is Bloggerized by Lasantha Bandara - Premiumbloggertemplates.com.

This is default featured slide 4 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.This theme is Bloggerized by Lasantha Bandara - Premiumbloggertemplates.com.

This is default featured slide 5 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.This theme is Bloggerized by Lasantha Bandara - Premiumbloggertemplates.com.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Esposa do Candidato Waldoli Valente divulga pesquisa falsa


Nesta quarta-feira (21), as redes sociais de Cametá ficaram atônicas com a publicação de uma pesquisa falsa publicada pela esposa do então candidato a prefeito de Cametá, Waldoli, onde a mesma afirma ter posse das informações de uma pesquisa encomendada pelo Partido dos Tralhadores  (PT). A pesquisa citada e publicada é negada pelo Partido dos Trabalhadores onde o candidato Iracy Nunes se encontrava muito atrás de Waldoli Valente.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a divulgação de pesquisa fraudulenta é crime punível com detenção de seis meses a um ano e multa que varia entre R$ 53 mil a R$ 106 mil.

Para divulgar o resultado de pesquisas sobre as eleições ou sobre possíveis candidatos, as empresas ou entidades são obrigadas a registrar cada pesquisa no Juízo Eleitoral ao qual compete fazer o registro dos candidatos, com os dados previstos em lei e nas resoluções expedidas pelo TSE.

Após a farsa descoberta os partidos entraram com representação contra o candidato Waldoli e sua esposa, O FOLHA DE CAMETÁ constatou que no cartório eleitoral de Cametá não possui nenhuma pesquisa oficial e registrada.
Em nota publicada nas redes sociais Benedito Pompeu, afirma lamentar postura e defende uma politica limpa.


É importante que o eleitor verifique, no site da Justiça Eleitoral, se a pesquisa divulgada foi ou não registrada. A consulta pode ser feita no link: http://www.tse.jus.br/eleições/eleições-2016/pesquisas-eleitorais/consulta-as-pesquisas-registradas.
Share:

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Justiça libera Emanuel Cunha para concorrer a prefeito em Cametá.


A Justiça Eleitoral da Comarca de Cametá liberou o candidato a prefeito Emanuel Cunha (PTC), o candidato se encontrava com 6 processos no TCU (Tribunal de Contas da União). Agora está apto para concorrer ao pleito e seu nome não corre risco de não aparecer nas urnas.


Todos os candidatos a prefeito estão aptos ao cargo de prefeito, exceto Waldoli Valente que concorre ao pleito com recurso. (Deferido com recurso - Candidato julgado regular e deferido; no entanto, houve interposição de recurso contra essa decisão e aguarda julgamento por instância superior). 
Share:

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Candidatos de Cametá no listão do Tribunal Regional Eleitoral - TRE


Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apontam que 928 candidatos aos cargos de prefeito (14), vice-prefeito (25) e vereador (889) foram declarados inaptos para a disputa pelo Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA). Eles não tiveram os seus nomes habilitados votação na urna eletrônica e, caso o eleitor digite o número de qualquer um deles, o voto será nulo. Desses, 584 tiveram as candidaturas indeferidas, 337 renunciaram e sete registros foram cancelados.
Outros 1.270 candidatos estão aptos para o pleito eleitoral, porém vão concorrer com seus registros indeferidos com recurso na justiça. Ou seja, o eleitor poderá votar nesses nomes porque eles já estão no sistema das urnas eletrônicas, fechado na sexta-feira, 16, porém esses votos serão anulados se a Justiça eleitoral mantiver a decisão de que esses candidatos não reúnem as condições necessárias ao registro.
São 745 candidatos com a situação de registro indeferido com recurso, 162 deferido com recurso, 368 pendente de julgamento e cinco cancelados com recurso. Os principais motivos para o indeferimento no Estado são a ausência de documentação, irregularidades dentro dos partidos, a classificação do político como ficha suja, abuso de poder, compra de voto ou até o cumprimento de penas por crimes como furto qualificado.
Em todo o País, são 20.476 candidatos inaptos e 21.255 que concorrem aguardando a decisão da justiça eleitoral. A menos de 15 dias para as eleições, o TSE avalia que os tribunais eleitorais correm contra o tempo para julgar todos os casos. No entanto, devido ao volume elevado de processos, muitos candidatos podem ir para a disputa sem ter a situação regularizada junto ao TRE.
“Enquanto a situação estiver em recurso, o candidato pode ir para a urna. Se ele obtiver votos para ser eleito nessa situação, o julgamento deverá acontecer antes de ele ser proclamado. No caso da impossibilidade de o candidato assumir, é necessária a realização de uma segunda eleição”, explica a assessoria de comunicação do TSE.
Os dados atualizados do site DivulgaCand 2016, do TSE, apontam 20.605 candidatos na disputa eleitoral do Pará. São 19.680 postulantes a uma das 1.734 vagas de vereador (concorrência de 11,24 candidato por vaga), 549 opções para as 144 prefeituras do Estado (3,81) e 561 para vice-prefeito (3,89). A maioria deles (7.717) possui apenas o ensino médio e quanto a profissão se destacam os números de agricultores (2.016) e comerciantes (1.193).
A consulta ao nomes dos candidatos considerados inaptos só pode ser realizada de forma individual, por meio do sistema de Divulgação de Candidaturas do TSE, o DivulgaCand 2016.

Em Cametá os seguintes candidatos encontram com problemas com a justiça: Emanuel Cunha (PTC) que esta esperando julgamento e Waldoli Valente (DEM) que esta no momento regular e deferido; no entanto, houve interposição de recurso contra essa decisão e aguarda julgamento por instância superior, onde se for aceito o mesmo não poderá concorrer ao cargo e seu nome nem poderá ir para as urnas.
Texto: Extraido e adaptado do Jornal Liberal de 18/09/2016.


Share:

domingo, 18 de setembro de 2016

PT Cametá, faz carreata organizada e com magnifica estrutura milionária.


 
O Partido dos Trabalhadores de Cametá juntamente com seus militantes, candidatos e servidores contratados, realizaram neste sábado (17) pela noite uma carreata pelas ruas de Cametá. O grupo com dezenas de carros, centenas de motos e centenas de pessoas percorreram cerca de 10 quilômetros da cidade em direção à prefeitura. Havia pessoas de diversas cidades no evento: Baião, Oeiras, Limoeiro, Belém, Abaetetuba e outras. Foi uma festa muito bonita e democrática.

O Candidato Iracy Nunes estava na rua, mas pouco foi visto, a festa ficou por conta da militância que alegre vinha fazendo a festa vermelha. Faixa foram vistas como: FORA TEMER, FORA WALDOLI FICHA SUJA e outras.

Foi um evento grandioso e muito organizado, se fosse pago pelos candidatos, os candidato já teriam que declarar a metade do seu gasto oficial, no caso do Prefeito de cerca de R$ 108.000,00 (Cento e Oito Mil Reais).

A carreata foi organizada pela coordenação de campanha de Iracy Nunes (PT), onde deve ter gastado muito dinheiro com gasolina, enquanto isso muitos contratados foram na carreata com a esperança de receber, pois muitos já não recebem a três meses.

Pelas avenidas, várias pessoas nas calçadas demonstravam revolta e gritavam me paga, outras agrediam com palavras a carreata pacifica. Algumas portavam bandeiras azul e outras laranja nas portas e janelas.

Paulinho Oliveira, de 40 anos, foi um dos militantes que acompanharam a caravana. Com bandeira do PT na mão e vestido com a camisa verde e amarela, ele conta que se filiou ao PT em 2014 como forma de agir para enfrentar as ofensivas contra o governo. “Eu fiz questão de vir de camisa verde e amarela porque, infelizmente, as cores da nossa bandeira estão sendo usurpadas. A bandeira nacional pertence a todos, principalmente à maioria dos eleitores que decidiu que Dilma Rousseff seria a presidente da república. Impeachment sem crime de responsabilidade é golpe.”
Share:

domingo, 11 de setembro de 2016

Duca Alvin Salvou a carreata de Waldoli Valente em Cametá


Na tarde do sábado (10), o candidato a prefeito de Cametá pelo DEM, Waldoli Valente, fez carreata por mais de uma hora, dezenas de veículos percorreram ruas e avenidas da cidade de Cametá, na concentração a tensão era muita, porque não havia muitos carros e pessoas, mas quem salvou o dia foi o vereador Duca Alvin, graças ao vereador a carreata foi um sucesso, foi ele que roubou o brilho da carreata, o vereador trouxe o deputado Federal Nilson Pinto, quando a carreata começou havia poucos carros, quando o Duca e Nilson Pinto chegaram com mais da metade das pessoas e carros salvou o dia do candidato a prefeito Waldoli.
Durante a carreata ouve apenas um acidente que por pouco não envolveu ferimentos nas crianças que brincavam na praça, durante a carreata fogos de artifícios atingiu a grama da praça causando um pequeno incêndio. Após a carreata, todos se reuniram para merendar.
Share:

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Três ex-prefeitos de Cametá são alvos de ações do MPF


(Foto retirada das redes sociais)

Desde o ano passado o Ministério Público Federal (MPF) ajuizou ações por desvios e apropriação de recursos públicos contra os três ex-prefeitos de Cametá, os mesmos administraram o município em mandatos consecutivos, de 1997 a 2012. Os procedimentos foram instaurados depois que o Tribunal de Contas da União (TCU) e o Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde (SUS) reprovaram suas contas, os gestores são: Emmanuel Cunha e Quaresma. Se condenados, eles estarão sujeitos às sanções das Leis de Improbidade Administrativa (Lei 8.429/92) e Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar, nº 135/2010), entre elas, perda da função pública e suspensão dos direitos políticos durante cinco anos, além do pagamento de multa e proibição de contratar com o Poder Público. Os réus ainda podem ser condenados a ressarcir, juntos, aos cofres públicos, um total de mais de R$ 5 milhões de reais. Todos os denunciados, no entanto, contestam as acusações e podem recorrer ao Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região, em Brasília. 

O caso de Waldoli Valente é mais complicado segundo juristas, o mesmo já foi condenado pelo TCM,  segundo o tribunal de contas o ex-prefeito tem que devolver milhões de reais aos cofres públicos. 

Waldoli deixou ainda uma dívida milionária com o INSS [Instituto Nacional do Seguro Social], pagamento de consignados e com o Instituto de Gestão Previdenciária do Pará. Só com o Igeprev, a dívida é de 20 milhões de reais’’ segundo o jornal Liberal. O ex-prefeito responde à ação judicial federal, por ato de improbidade administrativa em face da falta de documentação que comprove a aplicação de mais de R$ 5 milhões de reais, liberados pelo Ministério da Saúde. À frente da ação contra Waldoli está o procurador da República, Bruno Valente.
Share:

NÃO LISTA

Contato